Criador do Reffis chama milagre de Diego Costa de 'carnavalesco': Há risco de perder a Copa

622 4912ceba-cf1a-3181-94d0-2181ec896c7f

O mistério perdurará até instantes antes do grande jogo europeu do ano: a final da Uefa Champions League. Diego Costa atuará pelo Atlético de Madri na decisão contra o Real Madri, em Lisboa? Para estar apto, livrar-se da lesão muscular e representar os ‘colchoneros' no clássico, o hispano-brasileiro apelou para um tratamento milagroso, com placenta de égua.

A ‘obra' é de autoria da fisioterapeuta sérvia Marijana Kovacevic, que, de acordo com seu site oficial, já utilizou o método em mais de 100 jogadores, entre eles o brasileiro Fábio Aurélio. Entretanto, este tipo de tratamento recebe questionamentos constantes, em virtude da falta de comprovação científica e autorizações das autoridades do país para a atividade.

No Brasil, uma autoridade na recuperação de atletas criticou duramente o processo. Trata-se de Beny Schmidt, chefe do Laboratório de Patologia Neuromuscular e professor adjunto de Patologia Cirúrgica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Criador do Reffis são-paulino, o doutor ironizou o tratamento de Diego Costa.

"Placenta? Este procedimento é carnavalesco. Existem outras coisas que melhoram o resgate da musculatura: calor, fisioterapia, inteligência neuromuscular. Mas, claro, a natureza é o melhor reabilitador de lesão muscular. A placenta está morta, não tem vitalidade nenhuma", explicou ao ESPN.com.br.

"Toda vez que se manipula o músculo para que ele se regenere antes do previsto, corre-se um risco muito grande de ter uma recuperação com fibrose. Além disso, o músculo fica predisposto a uma ruptura muito maior em um futuro próximo", afirmou o especialista.

Desta forma, com um tratamento pouco convencional e a antecipação do retorno, Diego Costa colocará em risco sua participação na Copa do Mundo, garante Beny Schmidt, baseado no que tem acompanhado das notícias em relação ao atacante do Atlético de Madri.

"Uma injeção, e ele vai para o jogo, por isso esse tratamento de placenta aí é carnavalesco. É decisão, o Atlético de Madri precisa dele, mas ele corre o risco de agravar. Aliás, tem um enorme risco de ter uma lesão mais grave. Ele está arriscando perder a Copa do Mundo", encerrou.

A participação de Diego Costa na final da Champions League havia sido descartada pela medicina convencional: o diagnóstico do atacante é de lesão muscular de grau 1 na coxa direita, 15 dias de afastamento. Entretanto, ele treinou nesta sexta-feira, véspera da esperada final no Estádio da Luz.

Fonte:
ESPN

Busca